Historial

O Nosso Historial // Sobre Nós

1905 Josef Pregetter I tomou posse de uma pequena exploração de hortícola, em Weiz na Áustria, pertencente a um familiar afastado. Para além de palmeiras, diversas plantas verdes assim como sementes, o seu objectivo principal era o cultivo do perfumado cíclame. Ainda durante a monarquia do Imperador Carlos eram sobretudo vendidas para Viena e Budapeste. Josef I exercia igualmente as funções de político regional.

1935 Transferiu a empresa para o seu filho Josef II. O seu objectivo era continuar o cultivo do perfumado cíclame de 10 pétalas. Mesmo antes da 2ª Grande Guerra Mundial vendiam-se sementes de cíclame para os Estados Europeus, Estados Unidos da América e Canadá.

1937 Efectuou-se a primeira compra de uma grande remessa de orquídeas. Lamentavelmente a cultura de flores durante os anos de guerra foi limitada ao máximo, tornando-se obrigatório o cultivo de legumes. Apenas algumas plantas sobreviveram durante este tempo. Josef II reiniciou, logo após a guerra, a cultura de flores, obviamente com o cíclame e mais tarde com cravos. Ambicionava já nesta altura, a cultura de orquídeas.

1956 Iniciaram-se as primeiras sementeiras de orquídeas, sob condições ainda primitivas, indiciando logo os primeiros sucessos.

1964 Com grande sucesso apresentaram-se a um público internacional presente na Exposição Internacional de Jardinagem de Viena, os êxitos alcançados até então. Nesse mesmo ano Josef III, o actual proprietário do Jardim Orquídea, e o seu irmão Heribert tomaram posse da casa de horticultura. A partir daí Josef II dedicou-se à criação de trutas. A dimensão da exploração foi aumentada para 2.700 m2 de estufas. Abandonaram completamente a cultura de cíclames e especializaram-se somente na cultura de orquídeas.

1965 Início da clonagem de orquídeas e construção do mercado de exportação para os Estados Comunistas de então, nomeadamente para a Hungria e a Jugoslávia.

1966 Realização da primeira exposição de orquídeas em Weiz, de 26.3 até 24.4, com mais de 40.000 visitantes.

1970 Remodelação e reestruturação da empresa para 3.000 m2 de estufas altas de vidro. Nesse ano a empresa recebeu o grande Prémio do Estado, em ouro. Criação de um lugar de venda no Grande Mercado de Flores de Viena.

1971 Devido ao mau tempo caracterizado pelo pedrisco, as culturas foram grandemente afectadas, tendo que se proceder à substituição dos vidros de 1.500 m2 de superfície de estufas.

1972 Automatização da rega, adubação e ventilação. Primeiras exportações para a Checoslováquia.

1973 Ampliação para 6.000 m2 de estufas.

1975 Início da exportação para a Polónia. Criação de um novo lugar de venda no Grande Mercado de Flores de Graz.

1978 Apresentação mundial do primeiro Meristema de Paphiopedilum (sapatinho) e início da sua venda.

1979 Exposição e aumento da exportação para a Suiça e para a Alemanha.

1981 Interrupção imediata da venda dos Meristemas de Paphiopedilum (demasiadas mutações) e destruição de todo o stock de Meristemas existentes.

1982 Grande contratempo devido a danos provocados por tempestades. Foram destruídos 1.000 m2 de estufas.

1984 Constituição de uma filial, nomeadamente uma loja de flores.

1985 Saída de Heribert Pregetter da empresa.

1988 Abertura de outra loja de flores, a segunda filial.

1991 Abandono da exploração hortícola em Weiz, na Áustria (cerca de 300.000 litros de combustível por ano). As três lojas de flores são assumidas pela filha Sabine Pregetter. Josef Pregetter e a sua esposa  Marianne emigram para a ilha da Madeira e fundam a empresa JARDIM ORQUÍDEA LDA.

2005 Comemoração do 100º aniversário.

2010 JARDIM ORQUÍDEA LDA. torna-se na FUNDAÇÃO JOSEF PREGETTER.